O processo de seleção de ou adaptação de um espaço para trabalhar, seja num escritório tradicional, num coworking ou mesmo em casa, vai muito além de escolher uma mesa onde caiba o computador/notebook e uma cadeira “confortável”.

É preciso estar atento à ergonomia dos móveis, para evitar o cansaço exagerado ao longo do dia e, assim, aumentar a produtividade. 

Essa questão é tão importante que, aqui no Brasil, existe a Norma Regulamentadora 17 (ou NR 17), que regula a ergonomia no ambiente de trabalho. E se você pensa que essa norma foi criada apenas para complicar ou dificultar a vida dos empresários, que precisam se adequar a ela para evitar problemas trabalhistas, saiba que é aí que você se engana:  respeitar essas orientações significa reduzir, significativamente, as ausências e os afastamentos relacionados às possíveis lesões causadas pela má postura de uma maneira geral. 

Enquanto muitos empresários estão conscientes do fato de que a maior ameaça à produtividade é a ausência de funcionários devido a problemas de saúde, poucas pessoas se dão conta que boa parte dos afastamentos não ocorrem como resultado de quedas ou levantamento de equipamentos pesados, mas devido à tensão repetitiva diária.

Na verdade, mais de 40% das lesões no local de trabalho vêm na forma de entorses e distensões.

Como as lesões por esforço repetitivo levam muito tempo para se desenvolver, elas também costumam levar muito tempo para serem tratadas e, portanto, podem causar a longa ausência de funcionários qualificados. Isso não apenas resulta em significativa perda de produtividade, como também custa às empresas uma boa quantidade de dinheiro na forma de pagamentos de indenizações e, em alguns casos, contratações extras para suprir a vaga do funcionário afastado.

Detalhes a serem levados em conta

Muitas pessoas passam horas na frente de um computador diariamente e não levam em conta o impacto que isso pode produzir em seus corpos, com mouses sem apoio, monitores mal posicionados, cadeiras sem ajuste de altura, entre muitas outras coisas.

Também é muito comum encontrar pessoas trabalhando em ambientes como padarias, cafeterias, shoppings, etc. E embora o local possa parecer extremamente atraente, é preciso lembrar que nenhum deles foi pensado ergonomicamente para que sejam utilizados por um longo período, o que pode favorecer o surgimento de algumas dores e desconfortos. E lembre-se: a dor física também afeta negativamente a energia mental; logo, é difícil sentir-se inspirado, resolver problemas ou gerar novas ideias quando o desconforto físico é uma constante no seu dia. 

No longo prazo, essas práticas também levam a distúrbios cumulativos de trauma ou lesões por esforço repetitivo, que criam um impacto negativo na sua saúde. Os sintomas podem incluir dor, fadiga muscular, formigamento e desempenho reduzido. 

Dicas importantes

  • Respeite as normas estabelecidas na NR17 – seja na sua empresa ou escritório (caso você seja um trabalhador autônomo);
  • Faça pequenas pausas ao longo do dia, para alongar e caminhar, na tentativa de reduzir a tensão muscular e aliviar as dores;
  • Busque tirar as mãos do teclado e do mouse a cada dez minutos e alongá-las; 
  • Depois, a cada 30 ou 60 minutos, faça uma breve pausa (2 a 5 minutos) para alongar todo o corpo e caminhar;
  • Escolha uma cadeira com regulagem de altura (tanto para os assentos, quanto para o apoio dos braços), para que ela se ajuste às suas necessidades;

Abaixo separamos mais algumas dicas que irão te ajudar a reduzir o cansaço ao longo do dia e garantir sua produtividade:

Crédito: Portal iSaude (www.isaude.com.br)

Similar Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *