No último mês, a Síndrome de Burnout voltou a ser destaque nos sites de notícias em todo o Brasil, após ter sido apontada como causa da interrupção da agenda da cantora Anitta

Mas, afinal de contas, o que é a Síndrome de Burnout e por que tanta gente tem sentido seus efeitos nos dias de hoje?

Burnout é o nome dado a um estado de exaustão emocional, física e mental causado pelo estresse excessivo e prolongado. Segundo os especialistas, ele ocorre quando a pessoa começa a se sentir sobrecarregada, emocionalmente esgotada e incapaz de atender às demandas constantes. Com isso, a medida que o estresse continua, o indivíduo começa a perder o interesse e a motivação que o levaram a assumir suas tarefas e/ou cargos. 

Consequentemente, a pessoa vê sua produtividade ruir, sente que sua energia está sendo toda consumida e isso vai deixando-a cada vez mais impotente, esgotada e sem esperança de melhora.

O problema é que, muito mais do que o estresse diário que sentimos no trabalho, a síndrome de Burnout pode ter sérias conseqüências para nossa saúde física e mental, podendo levar a graves problemas, como a depressão, por exemplo. 

“Há uma diferença entre o tipo de exaustão que você sente após um longo dia de trabalho e a fadiga constante do esgotamento”

Dados da Associação Internacional de Gestão de Estresse apontam que 30% dos brasileiros hoje sofrem com este tipo de esgotamento no ambiente de trabalho. Um número que já assusta e exige uma mudança de postura por parte dos empregadores, para evitar que fique ainda maior. 

Confira alguns dos principais sinais ou sintomas que podem indicar a Síndrome de Burnout:

  • Cansaço excessivo, físico e mental
  • Dor de cabeça frequente
  • Alterações no apetite
  • Insônia
  • Dificuldades de concentração
  • Sentimentos de fracasso e insegurança
  • Negatividade constante
  • Sentimentos de derrota e desesperança
  • Sentimentos de incompetência
  • Alterações repentinas de humor
  • Isolamento
  • Fadiga
  • Pressão alta
  • Dores musculares
  • Problemas gastrointestinais
  • Alteração nos batimentos cardíacos

Por compartilharem muitos sintomas, Burnout e depressão são comumente confundidos. Além disso, se não for devidamente tratada, essa sensação de esgotamento pode se transformar rapidamente em depressão crônica e começar a se infiltrar em todos os aspectos da sua vida. Justamente por isso, é fundamental que se busque ajuda médica sempre que a pessoa identificar alguns desses sinais, antes que o problema evolua. 

É importante ressaltar, também, que é natural passar por períodos de menor satisfação com o trabalho. No entanto, se esse sentimento não desaparecer, persistir mesmo durante o tempo com amigos e familiares, ou se você pensa com muita frequência em escapar completamente do trabalho e dos projetos em que está envolvido, saiba que você pode, sim, estar sofrendo de Burnout.  

Como prevenir

A melhor forma de prevenir a Síndrome de Burnout é através de estratégias que diminuam o estresse e a pressão no trabalho. No entanto, algumas mudanças no estilo de vida também podem ajudar a minimizar os efeitos do problema. 

  • Defina pequenos objetivos na vida profissional e pessoal
  • Participe de atividades de lazer com amigos e familiares
  • Faça atividades que “fujam” à rotina diária, como passear, comer em restaurante ou ir ao cinema
  • Evite o contato com pessoas “negativas”, especialmente aquelas que reclamam do trabalho ou dos outros
  • Converse com alguém de confiança sobre o que se está sentindo
  • Faça atividades físicas regulares. Pode ser academia, caminhada, corrida, bicicleta, remo, natação etc
  • Evite consumo de bebidas alcoólicas, tabaco ou outras drogas, porque só vai piorar a confusão mental
  • Não se automedique nem tome remédios sem prescrição médica

Similar Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.