2020 com certeza ficará marcado como um ano de profundas transformações. Ao longo dos últimos 9 ou 10 meses, todo mundo precisou mudar a forma como se relacionava com as pessoas; a forma de fazer negócios; os planos para o futuro; e o jeito de encarar a vida e o mundo, de uma maneira geral. E algumas dessas mudanças provavelmente seguirão com esse novo formato a partir de agora, no que se convencionou chamar de “novo normal”.   

Foi preciso aprender sobre distanciamento social, entender que o trabalho remoto não prejudica a produtividade do funcionário, que nem toda reunião precisa acontecer presencialmente, que o mundo digital pode nos proporcionar facilidades e benefícios que, até então, eram ignorados e, principalmente, que a economia que vem junto com tudo isso também pode ser significativa. Uma economia de tempo e de recursos, que passaram a ser mais valorizados, porque as pessoas redefiniram suas prioridades. 

Mas o que mais será que foi possível aprender durante a pandemia? Bom, a gente listou algumas coisas. Confira.

1. Priorizar nossos momentos em família e com os amigos

No melhor estilo “as pessoas só valorizam algo depois que perdem”, quando nos vimos forçados a ficar longe dos nossos familiares e amigos, entendemos o quanto isso era importante e o quanto deixamos de lado oportunidades que, de repente, não estavam mais disponíveis. Surgiram, então, as confraternizações pelo Zoom, as videochamadas e os aniversários virtuais, que em nada se comparavam a experiência presencial, mas ajudavam a matar uma saudade que a gente nem sabia que era possível de sentir. Além disso, para quem viveu a dor do luto nesse período, ficou a amarga sensação da despedida que não aconteceu e das conversas que foram deixadas para um depois que nunca chegou.

2. Cuidar da saúde e do bem-estar

A correria do dia a dia também fazia com que muitos negligenciassem sua própria saúde, ancorados numa certeza de que estava tudo bem. Até que um inimigo invisível chegou e mostrou que essa certeza era completamente vazia. Aí, veio o desespero, a sensação de que era preciso fazer da saúde uma prioridade e o aprendizado de que cuidar de si mesmo também significava, automaticamente, cuidar do outro.  

3. Repensar nossos gastos 

Quando os comércios fecharam e apenas itens essenciais puderam ser adquiridos, muita gente entendeu que ir ao shopping fazer compras ou comer fora toda semana não era uma necessidade real. Isso fez as pessoas questionarem e repensarem seus hábitos consumistas, entendendo que não precisamos de muito para sermos felizes, e que muitos desses gastos podem ser facilmente cortados, proporcionando uma vida financeira muito mais equilibrada e saudável. 

4. Ter um fundo de emergência

A pandemia também fez com que muita gente perdesse o emprego ou tivesse seus ganhos reduzidos. E aí foi a hora de entender a importância de se ter uma reserva de emergência para situações como essa. Isso porque, enquanto o governo discutia se haveria ou não um plano de enfrentamento a essa nova realidade e se existia ou não a possibilidade de pagamento de uma ajuda financeira às pessoas afetadas pelo impacto econômico da Covid-19, os boletos continuavam chegando. Logo, quem tinha uma reserva guardada equivalente a 3 ou 6 meses de despesas de subsistência, conseguiu lidar com tudo isso de maneira mais fácil, sem precisar recorrer a empréstimos, nem à venda de bens valiosos para honrar seus compromissos.

5. Desacelerar 

A sociedade sempre viveu sob constante pressão para ser produtiva. Muitos aprenderam que o real objetivo da vida é competir, ser melhor do que o colega e nunca fazer pausas. “Trabalhe enquanto eles dormem” pode ser considerada a mola mestre de muitos. Mas, apesar dessa filosofia de fato ajudar a impulsionar carreiras, no longo prazo ela não é sustentável. Estamos nos esgotando, ficando cansados, passando pouco tempo com a família ​​e escondendo nossas fraquezas. Em essência, perdemos o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Ganhamos dinheiro, mas perdemos qualidade de vida. Aprender a recuperar esse equilíbrio pode ser a chave para um futuro melhor.

6. Saúde mental é importante

Lidar com as consequências da pandemia nos fez encarar de frente um verdadeiro mix de emoções como medo, insegurança, tédio, frustração, entre muitas outras coisas, que podem facilmente desencadear episódios graves de ansiedade, pânico e depressão. Por isso, foi preciso entender  que a saúde mental é parte integrante da nossa saúde e precisa ser tratada continuamente. Não é um tabu. Não é frescura. É real e é normal. E a sociedade, cada vez mais, precisa estar pronta para uma conversa franca e aberta sobre isso. 

7. Somos todos iguais e estamos todos juntos

Quando um vírus como esse chega, infectando pessoas de todas as classes sociais, gêneros e raças, nos faz entender que, no fundo, dinheiro, status, fama e aparência não o protegem de forma alguma. Afinal, todos somos suscetíveis aos mesmos vícios, doenças e consequências humanas, estamos todos juntos e dependemos um do outro. 

E você, o que aprendeu em 2020? Qual vai ser a maior lição que você vai levar desse ano tão atípico e difícil para todo mundo? Compartilha com a gente!

Similar Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *